top of page
  • Foto do escritorMar Bahia

Aumenta riscos do banho de mar no período de chuvas. Salvador já registra 500 casos

No período de chuvas em Salvador, que compreende os meses de abril a junho, é preciso tomar cuidado com o banho de mar. Nessa época, as correntes marítimas e as correntes de retorno ficam mais fortes, devido aos ventos, fazendo com que os banhistas fiquem mais suscetíveis ao afogamento.

Foto: Divulgação/Secom

De janeiro ao início de maio deste ano, o órgão registrou 502 ocorrências no trecho entre o Jardim de Alah e Ipitanga, entre as quais 448 foram resgates. Nesse período, foram registradas três mortes por afogamento nas praias de Piatã, Jaguaribe e Itapuã (Pedra do Sal). Neste mês de maio, as praias com maior número de incidentes registrados foram Piatã e Jaguaribe. Em 2018, foram registradas 990 ocorrências e três mortes.


Uma dica importante da Coordenadoria de Salvamento Marítimo de Salvador (Salvamar), vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), é dobrar a atenção com as crianças. “Os pequenos têm o sistema imunológico em formação, por isso, eles estão mais vulneráveis a contrair hepatite, dermatites, infecções de pele e leptospirose entre outras patologias comuns ao período”, afirma João Luís Moraes, coordenador da Salvamar. Vale a pena também observar a tonalidade da água, o odor do mar e tomar banho em locais afastados de onde desaguam as águas pluviais.


0 comentário

Comments


bottom of page