top of page
  • Foto do escritorMar Bahia

Arqueologia Sub, rampa para jets e ações na orla. Prefeitura anuncia novos projetos náuticos

Após ações importantes para o desenvolvimento do setor náutico na Baía de Todos-os-Santos, a Prefeitura de Salvador anunciou a possibilidade de novos projetos que potencializem ainda mais o crescimento do segmento, dentre eles a criação de uma Arqueologia Subaquática, novas rampas para jet ski e a limpeza do Canal da Ribeira até a Enseada dos Tainheiros. O objetivo seria aumentar o calado e permitir atracação na maré baixa, o que hoje é impossível, devido ao assoreamento do local. A limpeza do canal facilitará o acesso para toda a Baía de Todos-os-Santos e as ilhas de Maré e Frades.

Foto: Amanda Oliveira

Também está prevista a construção de nove rampas para jet ski e pequenas embarcações, em toda a orla da capital. No radar, constam ainda a implantação de estaleiros para o desenvolvimento da cultura náutica em Salvador, investimentos no comércio, cultura, esportes, gastronomia e engenharia no setor, e criação de toda infraestrutura necessária, como piers e marinas, para mostrar que a cultura náutica é uma importante atividade para gerar emprego e renda, através da Baía de Todos-os-Santos, a partir de ferramentas para atrair investimentos e ainda mais turistas para a região. "Quando se fala em exploração econômica da Baía de Todos-os-Santos, é preciso considerar aspectos turísticos e econômicos, buscando saber o que esses visitantes vêm fazer na região. Também é importante ressaltar que grandes heróis ligados ao esporte acabam impulsionando o turismo e a atração de investimentos para seus locais de origem, a exemplo dos irmãos Grael e de Amyr Klink. Aqui temos medalhistas olímpicas como Ana Marcela e Edvaldo Valério, além do velejador Aleixo Belov, que são grandes referências", explica a coordenadora do Salão Náutico de Salvador, Eliana Dumet. Breve histórico – A Baía de Todos-os-Santos já foi considerada o maior porto da América do Sul, sendo a principal responsável pela maior parte do escoamento da produção agrícola brasileira nos tempos de colônia e império, até o surgimento das grandes rodovias. Cinco séculos após ser revelada para o mundo, a região apresenta uma diversidade de ambientes a explorar, com inúmeras praias, 56 ilhas, rios, manguezais, corredeiras e quedas d’água em uma área de 1 052 km². Com um contorno de quase 200 km de extensão, 13 municípios concentram vasta produção econômica, tendo sido fator decisivo para a ocupação e exploração do Brasil colonial.


0 comentário

Comentarios


bottom of page