top of page
  • Foto do escritorMar Bahia

Nova edição do ParaPraia começa neste fim de semana, em Salvador

O ParaPraia, projeto que promove banhos de mar assistidos para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, retorna em 2023 após dois anos suspenso por força da pandemia de Covid-19. O início da 8ª temporada do projeto acontece neste sábado (25) e domingo (26), a partir das 8h, na praia de Ondina, em frente ao IBR.

Foto: Bruno Concha

Realizado com o apoio da Prefeitura, através das secretarias de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda (Semdec) e de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esporte e Lazer (Sempre), o ParaPraia já beneficiou, em anos anteriores, cerca de 3 mil pessoas de Salvador, região metropolitana e cidades do interior do Estado. Além deste fim de semana, mais dois encontros serão realizados nos finais de semana dos dias 4, 5, 11 e 12 de março, das 8h às 12h, sempre em Ondina.


Para participar da ação não é necessário agendar – basta chegar no local e efetuar um breve cadastro. O ParaPraia também vai abarcar pessoas que estão em cuidados intensivos em casa (homecare), que necessitam de ambulância ou de cuidados paliativos. Nestes casos, o banho precisa ser agendado previamente enviando mensagem por meio do perfil oficial do projeto no Instagram (@parapraia), e são montadas equipes especiais para fazer o acompanhamento.


A iniciativa conta com 240 voluntários cadastrados para esta edição. Nesta retomada, as cadeiras anfíbias e os acessórios flutuantes voltam a ser utilizados nos banhos, promovido com a assistência técnica de professores e alunos dos cursos de fisioterapia, enfermagem e educação física da instituição de ensino além de voluntários da sociedade civil. Na faixa de areia serão montadas áreas para atividades recreativas, banheiros especiais, pistas de acesso, lounges em tendas para proteção do sol e espaço para um chuveirão.


Impacto – A coordenadora do projeto, Luciana Bilitario, explica que a promoção do banho de mar assistido gera um impacto positivo não apenas nas pessoas com deficiência, mas engloba todos os envolvidos no processo. “É um projeto que deixa a inclusão visível. Essa causa das pessoas com deficiência na praia, lazer e no final de semana toma uma forma mais natural. O impacto na vida das pessoas que têm dificuldade de locomoção e precisam de auxílio para uma atividade de lazer, como o banho de mar, é imensurável”, afirma.



0 comentário
bottom of page