top of page
  • Foto do escritorMar Bahia

Marinha do Brasil apresenta balanço final da Operação Carnaval na Bahia

A Marinha do Brasil (MB), por meio da Capitania dos Portos da Bahia (CPBA), informa que durante o período do carnaval, entre os dias 16 a 22 de fevereiro, os Inspetores Navais (IN) da CPBA realizaram 1.565 abordagens à embarcações (cerca de 200 abordagens por dia), com 75 notificações e oito apreensões. Participaram da ação cerca de 300 militares e 36 embarcações, dentre elas lanchas e motos aquáticas, e 25 viaturas foram empregadas na fiscalização.

Foto: Divulgação

O trabalho foi realizado nos cerca de 1100 km de extensão da costa litorânea do estado,

concentrado em áreas onde se registra intensa presença da atividade náutica, tais como: Barra/Porto da Barra; Praia da Ribeira; São Tomé de Paripe; Madre de Deus; Morro de São Paulo; Gamboa do Morro; Boipeba; e Barra do Jacuípe. Também foi intensificada a fiscalização nos terminais de transporte de passageiros da Baía de Todos-os-Santos. Houve, ainda, em uma ação conjunta com a Secretaria Municipal de Sustentabilidade e Resiliência (SECIS) e Defesa Civil (Codesal), a fiscalização permanente do Parque Marinho da Barra, a fim de restringir o fundeio de embarcações na área dos naufrágios: Bretagne, Germânia e Maraldi.


Já no sul do estado, as ações de fiscalização foram coordenadas pelas Delegacias da Capitania dos Portos em Ilhéus e Porto Seguro, subordinadas à CPBA, que intensificaram a fiscalização das embarcações em localidades de intensa atividade do turismo náutico como Camamu, Itacaré, Arraial D’Ajuda, e Trancoso. Juntas, as duas Organizações Militares realizaram a abordagem em 279 embarcações, com 14 notificações e três apreensões.


A ação, que teve por objetivo assegurar a salvaguarda da vida humana no mar e rios, a

segurança da navegação e a prevenção da poluição hídrica oriunda de embarcações, foi realizada no contexto na “Operação Verão” 2022/2023, que é realizada em todo o País entre os meses de dezembro e março.


As infrações que mais chamaram a atenção durante as ações de fiscalização foram a falta de habilitação dos condutores; documentação da embarcação incompleta ou vencida; falta de material de salvatagem (coletes, boias, extintores de incêndio entre outros); desrespeito ao limite de lotação da embarcação, consumo de bebida alcoólica durante a condução, e más condições de navegabilidade das embarcações.

0 comentário

Comments


bottom of page