top of page
  • Foto do escritorMar Bahia

"Belov: uma vida no mar". Confira entrevista com o cineasta Tiago Abubakir

Um jovem com uma inspiração e um mar de ideias na cabeça. Esse é Tiago Abubakir, que com apenas 21 anos, está prestes a lançar o documentário "Belov: uma vida no mar". Estudante de Publicidade e Propaganda, e cineasta autônomo desde 2017, nascido em Salvador, Tiago bateu um papo especial com o Mar Bahia, falando todos os detalhes dessa produção que promete navegar pelo mundo.



MAR BAHIA - Em breve você está lançando nos cinemas o filme "Belov: Uma Vida no Mar", em homenagem a Aleixo Belov. Conte um pouco sobre como surgiu essa ideia e há quanto tempo você está produzindo o documentário.


TIAGO ABUBAKIR - A princípio, o curta será lançado no circuito de festivais e mostras de cinema. A ideia inicial do documentário surgiu ainda no final de 2022. Eu e Luiz Humberto Campos, meu amigo, elaboramos o conceito sobre o projeto, depois de uma visita ao Museu do Mar, onde realizamos o levantamento dos aspectos mais importantes da vida e da carreira do navegador Aleixo Belov.


A nossa admiração pela sua biografia culminou na gravação de uma entrevista com o próprio Belov, em fevereiro do ano seguinte. Desse momento em diante, o maior desafio, para mim - enquanto diretor, produtor, co-argumentista, diretor de arte, editor, editor VFX, editor de som e pesquisador -, foi transformar uma entrevista, que poderia ter servido para inúmeros propósitos, em uma obra cinematográfica; em um produto digno de ser apreciado em uma sala de exibição.


No mês passado, completei exatamente um ano trabalhando nesse projeto, sendo oito meses só de pós-produção.


MB - A quantidade de material para a sua pesquisa de produção deve ter sido imensa. Como foi decupar tantos arquivos até a escolha dos conteúdos mais importantes?


TA - A Fundação Aleixo Belov preserva um acervo robusto de fotos, vídeos e reportagens. É uma coisa impressionante. Parte considerável da riqueza desse acervo se deve ao trabalho de Leonardo Papini, fotógrafo e videógrafo responsável pelos espetaculares registros das três últimas viagens no veleiro-escola "Fraternidade".



Estudar a vida de Aleixo Belov não é uma tarefa fácil. Ele é uma figura multifacetada: para além de ser navegador, é mergulhador, engenheiro, empresário, escritor e professor. É muita história em uma só biografia. E a realidade é que seria impossível ilustrar a vida do comandante Belov, na íntegra, em um produto de curta duração. Por isso, tivemos que definir um cerne para o filme: criar um panorama sobre a vida de Belov, enquanto o maior velejador do Brasil em milhas navegadas, e expor o seu célebre legado, de forma poética e envolvente. Ainda assim, a seleção dos arquivos acabou demandando uma cuidadosa pesquisa e minucioso trabalho de filtragem. Essa, sem dúvidas, foi uma das tarefas mais difíceis de todo o meu trabalho.


MB - Você tem apenas 21 anos, mas já tem a sua produtora e vem fazendo uma imersão de peso com a criação deste documentário. Fale um pouco sobre sua formação e escolhas que tem feito para construir a sua assinatura visual.


TA - Sempre estive ligado ao audiovisual, não só como entusiasta, mas também como realizador. Quando criança, tinha uma enorme curiosidade sobre os bastidores das produções. Recentemente, concluí um curso de edição na Academia Internacional de Cinema (AIC), em São Paulo e, hoje, sou estudante de Publicidade e Propaganda da UNIFACS, e do curso de "Film Design" da Infinity School. Desde 2017, atuo como produtor audiovisual autônomo e freelancer. Sempre busco trabalhar com projetos de temática singular, e gosto de me envolver em todos os estágios de produção, embora meu enfoque seja a pós-produção (montagem, colorização, efeitos visuais, edição de som etc).


MB - Você vem de uma família muito ligada ao mar. Como foi crescer em um ambiente cercado destas referências e de que forma tudo isso te influencia?


TA - Foi ótimo crescer ligado ao mar. Foi meu pai, Mauricio Abubakir, handshaper e surfista veterano, que me incentivou, desde criança, a ingressar em modalidades como a natação e o paddleboard. Isso me influenciou de forma muito positiva; fez com que eu cultivasse uma verdadeira aproximação por projetos que tratam da relação do homem com o mar. E foi ele também quem me apresentou a Belov na cerimônia de lançamento do livro "Alaska: Muito Além da Linha do Horizonte", muito antes da produção desse documentário.



MB- Qual é a previsão de lançamento e os caminhos que o doc tem feito até a divulgação final?


TA - Ainda estamos na fase inicial de divulgação. Eu até diria que mal começamos. Mas a previsão é que uma estreia local aconteça no próximo semestre. Nosso propósito principal é promover uma difusão da inspiradora história de vida do comandante Belov a nível global, mediante a apresentação do filme no circuito de festivais e mostras de cinema em diversos países. De Salvador - Bahia, Capital da Amazônia Azul, para o Mundo.


MB - E o que o público pode esperar de "Belov: Uma Vida no Mar"?


TA - O curta inspirado na Década do Oceano (2021-2030), da ONU, é mais do que um documentário biográfico sobre o maior navegador do Brasil: é uma homenagem poética a uma das personalidades mais emblemáticas do universo do mar, portadora de uma trajetória ímpar de superação e conquista, e construtora de um legado grandioso. Além de cumprir com o viés informativo, intrínseco a uma obra documental, a obra preza pelo envolvimento do público mediante o manuseio sofisticado da linguagem cinematográfica.


Acredito que esse seja o grande diferencial e um dos atrativos centrais do curta. Gostaria de deixar aqui um sincero agradecimento a Aleixo Belov e a Eduardo Athayde, que conferem apoio institucional ao projeto por meio da Fundação Aleixo Belov e da WWI Brasil (Worldwatch Institute Brasil), respectivamente, e a Ivan Lopez, patrocinador de mídia via Rede Outlight.


Confira o teaser oficial de "Belov: uma vida no mar":



0 comentário

Comments


bottom of page