top of page
  • Foto do escritorMar Bahia

Colônia de Pescadores do Rio Vermelho é revitalizada em Salvador

Às vésperas da Festa de Yemanjá, no dia 2 de Fevereiro, um dos espaços mais tradicionais para trato e comercialização de pescado em Salvador, a Colônia de Pescadores do Rio Vermelho, situada ao lado da Vila Caramuru, no Largo da Mariquita, foi inaugurada nesta terça-feira (30) após a conclusão das obras de reconstrução realizadas pela Prefeitura.


Foto: Valter Pontes

“Este era um sonho antigo da colônia do Largo da Mariquita, que está se tornando realidade hoje, às vésperas dos festejos de Iemanjá, onde vamos agradecer à Rainha do Mar. Os pescadores agora têm uma nova sede, garantindo que as mercadorias sejam vendidas sem nenhum prejuízo. Temos locais para armazenamento, onde eles podem guardar os seus objetos de trabalho em segurança. E temos, ainda, quiosques específicos para venda do pescado, trazendo conforto também para milhares de pessoas que vêm aqui diariamente para comprar os mais diversos produtos”, disse o prefeito Bruno Reis.


Com investimento de R$720 mil, a intervenção teve projeto elaborado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), ouvindo demandas dos próprios pescadores. Entre as novidades, o imóvel ganhou equipamentos adequados para abrigar os motores das embarcações e outros itens de trabalho. Além disso, ganhou área de convivência, já que a colônia é também um importante espaço de lazer para a comunidade.


Foto: Valter Pontes

Presidente da FMLF, Tânia Scofield disse que o diálogo com os pescadores foi essencial para o projeto: “Conversamos muito sobre o que era melhor para eles. Tanto, que eles tinham uma cozinha aqui, que era muito precária, e nós construímos uma nova cozinha por demanda deles. Temos também um espaço de bate-papo, bem sombreado e ventilado. Porque a colônia não é só um imóvel para guardar material, nos finais de semana as famílias vêm para cá, trabalhando ou curtindo, para conviver”, disse.


Também foram implantados quatro boxes com espaços para freezers, bancadas para o tratamento do pescado e balcões para comercialização. Ainda foram implantados sanitários masculino e feminino, inclusive adaptados para pessoas com deficiência. A obra priorizou o atendimento às normas de acessibilidade, que passaram a ter rampa de acesso à praia para as embarcações, e toda a área externa ganhou piso intertravado e placas de concreto. As intervenções foram executadas pela Superintendência de Obras Públicas (Sucop).


0 comentário

Comments


bottom of page