top of page
  • Foto do escritorMar Bahia

Esculturas celebram consolidação do turismo de observação de baleias

Para celebrar os importantes números da temporada de turismo de baleias jubarte de Salvador em 2023, a prefeitura instalou duas esculturas com caudas do mamífero, no Forte de Santa Maria e no Rio Vermelho. As obras de arte são assinadas pelo artista plástico João Teixeira e retratam a consolidação do turismo de observação de baleias.

A parceria da Prefeitura de Salvador, através da Secretaria de Cultura e Turismo (Secult), com o Projeto Baleia Jubarte permitiu que fossem realizadas diversas ações de pesquisa e fomento ao turismo de observação de baleias. Nesta temporada, foram realizados 27 passeios de observação de baleias, avistando os animais em todas as vezes e contabilizando um total de 153 animais.


O diretor de turismo da Prefeitura de Salvador, Gegê Magalhães, ressaltou os esforços feitos pela gestão municipal para fomentar esta atividade na cidade. Segundo ele, a Prefeitura acreditou no potencial turístico da atividade de observação de baleias, que é uma atividade sustentável, respeita o comportamento natural dos animais e, com isso, realizou esta parceria junto com o Projeto Baleia Jubarte, que já trabalha e incentiva esse turismo a 35 anos.


"Os resultados apareceram rápido, com muitos soteropolitanos indo ver as baleias tanto no mar quanto de terra, gravando vídeos, o que mostra que a cidade abraçou a ideia. Além disso, já esse ano tivemos turistas que vieram exclusivamente para ver as baleias, movimentando o trade turístico da cidade”, disse.


Temporada - O coordenador do Projeto Baleia Jubarte em Salvador, Gustavo Rodamilans, ressalta que a equipe do Projeto se fez presente em todas as saídas não só para passar informações técnicas aos turistas, como também para realizar pesquisa, principalmente foto identificando os animais. Cerca de 750 pessoas tiveram oportunidade de acompanhar esses belíssimos animais em seu habitat natural.


“Acompanhar as pessoas se emocionando ao encontrar com as baleias, tendo a vista da orla de Salvador bem próxima, sem dúvidas é uma atividade que a Luck Receptivo tem interesse em continuar a proporcionar, porque realmente é algo único”, afirmou a gerente da Luck Receptivo, Patrícia Caetano.


Além das atividades no mar, outra ação de enorme repercussão foi o monitoramento de baleias jubarte através de ponto fixo instalado na torre do Farol da Barra, no Museu Náutico da Bahia. No ponto fixo, foi possível que os visitantes do Museu realizassem a ciência cidadã acompanhando e participando da busca ativa das baleias com binóculos cedidos pela equipe. No período de 15 de julho a 30 de setembro, foi possível ver 842 baleias no total, sendo que 39 delas estavam dentro da Baía de Todos os Santos, ratificando a sua importância para esses animais. Cerca de 30 mil visitantes estiveram no Farol da Barra neste período e puderam ver a exposição fotográfica “Baleias Urbanas Soteropolitanas”, que mostra justamente a relação intrínseca entre Salvador e as baleias.


O vice-presidente do Projeto Baleia Jubarte, Enrico Marcovaldi, acompanhou o crescimento populacional das baleias na costa de Salvador e ressalta que “o monitoramento realizado pelo Projeto em Salvador permitiu foto identificar uma baleia em 2019, 21 anos após ser fotografada em Cabinda, apelidada de "Angola” pela equipe do Projeto. “Esse monitoramento que realizamos é muito importante para entendermos melhor as migrações feitas pelas baleias.” Completa Enrico.


A baleia “Angola” está sendo homenageada com uma réplica de sua cauda instalada no Porto da Barra, assim como uma outra réplica de cauda foi instalada no Rio Vermelho na praia da Paciência, local onde a baleia apelidada de “Paciência” foi fotografada.

0 comentário

Comentários


bottom of page