top of page
  • Foto do escritorMar Bahia

Projeto Mares une pesquisadores e comunidade para restauração do ambiente marinho de Itaparica

Pautada no cumprimento das metas da Década das Nações Unidas da Restauração de Ecossistemas a Organização Socioambientalista Pró-Mar deu início, em janeiro, à execução das atividades do Projeto Mares – iniciativa que tem como principal objetivo a implementação de ações com vistas à ciência cidadã e a educação ambiental voltadas à conservação do ambiente marinho em comunidades da Ilha de Itaparica.


Integrando o Programa Petrobras Socioambiental, para execução ao longo de dois anos, o Projeto é pautado em dois eixos principais: pesquisa, monitoramento e restauração de corais e atividade de Educação Ambiental com comunidades.

Foto: Afonso Santana

“No âmbito de pesquisa serão realizadas atividades de restaurações de corais e desenvolvimento de metodologias que permitam a regeneração de áreas degradadas dos recifes, que uma vez saudáveis, garantirão a diversidade de espécies, além da manutenção da pesca e de outros serviços ecossistêmicos”, explica Adriana Muniz, coordenadora do eixo de Educação Ambiental da Organização Socioambientalista Pró-Mar.


Na agenda de atividades está a capacitação de jovens locais para resgate e monitoramento da fauna de corais, em 60h de atividades teóricas e práticas a partir da abordagem em metodologias participativas, tais como o protocolo Reef Check Brasil.

Essa formação terá como conteúdo programático temas que retratam a ecologia e a importância do ecossistema recifal e como a sua conservação pode impactar diretamente na qualidade de vida dos moradores da ilha de Itaparica.


“O objetivo é formar jovens locais para que possam realizar o resgate dos corais e/ou seus fragmentos, instrumentos estes que serão utilizados para restaurar os recifes de corais na APA Recife das Pinaúnas”, destaca Adriana.


Entre as atividades previstas estão ainda a criação de um centro de interpretação ambiental, ações de limpeza de praia envolvendo as comunidades e a formação continuada de professores do ensino básico para as metodologias de ensino voltadas as temáticas dos ambientes marinho e costeiro. A coordenadora do eixo de Educação Ambiental do Projeto Mares destaca que embora a nova lei da Base Nacional Comum Curricular traga como diretriz o trabalho com a temática ambiental a maioria dos educadores não foram capacitados para essa prática pedagógica.


Visando preencher essa lacuna o Projeto oferecerá a estes profissionais uma ecoformação com carga horária estimada de 80h, para que estes apliquem esse conteúdo em sala de aula formando cidadãs e cidadãos conscientes da importância de viver em equilíbrio com o meio ambiente. Essa formação se dará por meio de uma Plataforma de Educação a Distância (EAD) que permitirá a possibilidade de escolher quando e onde fazê-la.


“Entendemos que tão importante quanto restaurar o que foi degradado é ter pessoas que saibam conviver em harmonia com a natureza. Mas, para isso, precisamos educar e conscientizar as pessoas. A formação continuada de professores dos municípios contemplados nesta proposta, favorecerá um aumento no engajamento das crianças para o mundo da ciência oceânica, além de auxiliar no estímulo do ensino e aprendizagem voltados à realidade socioambiental na qual a comunidade está inserida”, avalia Adriana.


Mas não é só. Entre os diferenciais do Projeto Mares está também a disponibilização da transferência de tecnologia social para a construção de sementeiras a partir da utilização de organismos bioincrustrantes advindo de limpeza de cascos de navios e/ou piers e outros materiais, para plantio da espécie Millepora alcicornes, que serão utilizadas na restauração de recifes de corais da Ilha de Itaparica.


“Objetiva-se com todas estas ações ampliar a participação da comunidade, atraindo o público de pescadores, marisqueiras e crianças para participar ativamente de atividades de cunho educacional e científico, produção dos conteúdos e materiais de aprendizagem complementar, coleta de dados científicos, experimentos socioambientais e ações de divulgação e comunicação”, ressalta Adriana Muniz.


A agenda de atividades do Projeto Mares está disponível no site da Organização Socioambientalista Pró-Mar (www.promar.org.br) e nas redes sociais Instagram (@promarong) e/ou Facebook (promar), por onde também serão divulgadas a abertura de vagas e seleções.

0 comentário

Comments


bottom of page