• Mar Bahia

Tudo pronto para a criação dos primeiros recifes artificias na BTS. Confira os detalhes da operação

Conforme anunciamos no início desta semana, neste sábado (21) a Baía de Todos-os-Santos ganha um novo marco em sua história. Finalmente serão afundadas, de forma programada, as primeiras embarcações destinadas aos também primeiros naufrágios artificiais da BTS.


O Mar Bahia, que irá acompanhar de perto o afundamento, conversou com Igor Carneiro, presidente da Associação de Mergulhadores da Bahia e sócio da Shark Dive, uma das empresas responsáveis pela operação, para saber mais detalhes de como será todo o procedimento do afundamento.


Veja também:

Todos os detalhes dos novos naufrágios: "Salvador se tornará a capital mundial do mergulho"


"O ferryboat Agenor Gordilho sairá diretamente de Bom Despacho no sábado (21) pela manhã em direção ao local do naufrágio. Já o Rebocador Vega chega nesta sexta (20) pela manhã ao Porto de Salvador.


Os navios serão rebocados para as imediações do Yacht Clube da Bahia no início da manhã, depois começaremos os preparativos, como aberturas nas laterais dos cascos para acelerar o afundamento e por fim a abertura das válvulas de fundo para entrada de água", declara.


Ainda de acordo com Igor, o processo inteiro deverá durar entre 3h e 5h e a Marinha do Brasil irá criar um isolamento, onde só será permitida a entrada das embarcações de apoio técnico. O primeiro a ser afundado será o Agenor Gordilho, seguido por cerca de 1h, do Rebocador Vega. Após a submersão, as embarcações estarão a uma profundidade média de 36 metros.


"Os navios ficarão aproximadamente 600m um do outro. Vamos fazer o mergulho técnico para averiguação e a partir de segunda-feira (23) já teremos programação de mergulho com eles", confirma Igor.


Os naufrágios

Com 71 metros de comprimento e 19 metros de altura, o ferryboat Agenor Gordilho realizou a travessia Salvador-Bom Despacho durante 45 anos. Já o Rebocador Vega, com 38,50m de comprimento e 10m de boca - prestava serviços para empresas petrolíferas e está desativado há dez anos. A previsão é de que em um ano as embarcação estejam repletas de vida marinha, impulsionando a exploração de recifes artificiais e o turismo náutico na Baía de Todos-os-Santos.


Para o secretário estadual do Turismo, Fausto Franco, o ferry Agenor Gordilho será um atrativo a mais para os praticantes do turismo náutico na Baía de Todos-os-Santos. "A embarcação fez história como pioneira na travessia para a Ilha de Itaparica, e para os adeptos do esporte será interessante conferir sua estrutura em mergulhos no fundo do mar", afirmou.


A Secretaria de Turismo da Bahia (Setur) realizou a contratação da operação do afundamento através de contrato com EngeSub Serviços Subaquáticos, sendo realizados estudos prévios de localização e de impactos ambientais. Óleos e combustíveis da embarcação foram removidos para atender às especificações ambientais, assim como peças que oferecessem riscos aos mergulhadores.


Prodetur

A operação de naufrágio controlado do ferry Agenor Gordilho coincide com fase importante do Prodetur Nacional Bahia, programa de valorização do turismo náutico executado pela Setur com financiamento do BID. O projeto de requalificação em torno da Baía de Todos-os-Santos, é de U$78 milhões de dólares. Serão realizadas 12 intervenções náuticas e uma cultural.


1 comentário

© 2017. Mar Bahia. Todos os direitos reservados.