top of page
  • Foto do escritorMar Bahia

Ultradesafio de canoagem: remador baiano completa 90Km de prova em cerca de 10h

O esporte sempre busca testar os limites dos atletas. E foi com esse objetivo que o atleta Maurício Oliveira, de 35 anos, resolveu participar do Ultradesafio de Canoagem 90Km, a mais nova prova do Desafio Yacht em que os atletas ganham a oportunidade de se desafiar em uma remada emocionante de 90Km, partindo do Yacht Clube da Bahia em direção à Itaparica, dando uma volta completa na ilha e finalizando sua trajetória novamente na sede do YCB. O atleta que finaliza o percurso tem o seu nome eternizado no site do Desafio, juntamente com o seu tempo de conclusão da prova.

Foto: Ádamo Mello

Para Maurício, testar os seus limites e fazer algo fora do comum era um sonho antigo, desde que participou do Desafio 60Km de OC1, ele sabia que poderia ir mais longe. “Conversando com Danilo Guimarães, coordenador do YCB, enxergamos a possibilidade de fazer algo único no Brasil. A ideia foi levada para a diretoria do Clube, que aprovou a realização do ultradesafio. A partir daí, começamos a organizar a logística pessoal de percurso, hidratação, suplemento, staff e data para realizar esse meu sonho antigo”, conta o atleta.


O primeiro ultradesafio, realizado por Maurício, foi realizado em 10h27 de prova, no dia 06 de fevereiro, com partida às 5h02 e chegada às 15h29. Maurício foi assessorado pela equipe de salvatagem formada por Danilo Guimarães (organização e Federação de Canoagem Polinésia/Va'a da Bahia - FEVAABA), Douglas Felipe (apoio escolhido pelo atleta) e Mametine Felix (condutor do bote). O resultado obtido pelo remador pode ser desafiado a qualquer momento por um atleta de VAA’, SUP ou Surfski.


Durante o percurso, o atleta precisou lidar com alguns desafios, como a força da maré vazante confrontando a força do vento e o fator psicológico em precisar permanecer repetindo o movimento da remada por tanto tempo. “Finalizei o primeiro terço do percurso em 3h30, uma diferença de 40 minutos em relação ao que havíamos planejado. Todo esse desgaste deveria ser calculado para traçarmos a estratégia para o restante do percurso”, relembra o atleta.


Os desafios prosseguiram, com o sol escaldante e o vento lateral que não refrescava, o que poderia ocasionar em uma desidratação. Para garantir a saúde do atleta, foram realizadas paradas programadas e suplementação, seguindo o protocolo do médico Fabrízio Silveira. Apesar das dificuldades, o desafio foi concluído com sucesso. “Foi a melhor prova da minha vida, em que o meu psicológico era o meu principal adversário. Essa é uma guerra que está sempre presente quando vamos realizar algo fora da nossa zona de conforto. Durante o ultradesafio, quando as condições ficavam difíceis, eu sempre pensava que seria melhor quanto pior fosse e isso me ajudava a continuar remando e superando os obstáculos que surgiam a cada hora”, conta Maurício.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page