top of page
  • Foto do escritorMar Bahia

Juliana Duque e Rafael Martins: amor no mar e na vida


Uma parceria no mar e na vida. O casal de velejadores baianos Juliana Duque e Rafael Martins transformou a paixão em comum pela Vela em um casamento que mistura amor e água salgada, numa história inspiradora que o Mar Bahia conta neste Gente do Mar especial de Dia dos Namorados.

juliana duque e rafael martins
Foto: Divulgação

Encontros podem até não ter lugar e nem hora, mas foram nas águas da Baía de Todos os Santos, onde treinavam (e ainda treinam) diariamente, que Juliana e Rafael se conheceram, mais especificamente no Yacht Clube da Bahia (YCB), onde frequentam desde crianças, velejando pela Escola de Vela do clube. A convivência e as afinidades os aproximaram, incluindo o mesmo apelido (Os Roedores).



O tempo passou e entre paquera, namoro e casamento já se vão dez anos, onde seguem juntos no mesmo barco e com os mesmos objetivos. Hoje, atletas de alto rendimento do YCB, Rafa e Ju acumulam inúmeras conquistas em diferentes classes: Snipe, 470, HPE, J70 e muito mais. Quando o assunto é velejar, o casal não se impõe limites. Atualmente, o maior desafio da dupla é a participação nos Jogos Olímpicos de Paris em 2024.

juliana duque e rafael martins
Foto: Gabriel Heusi

Juliana tem 27 anos e cursa Engenharia Ambiental, já Rafa tem 42 e é formado em Administração, cursando Educação Física. Com uma rotina de treinos quase ininterruptos, a dupla convive juntos praticamente todo o tempo, tanto em terra quanto no mar. Quando perguntados se isso não atrapalha o casal, eles respondem sem deixar qualquer dúvida.


"Tudo que fazemos é juntos. Costumo falar pra todos que só faço a campanha olímpica, por exemplo, porque é com Juju e temos essa sintonia especial que é muito boa. Então, só consigo ver o melhor em fazer tudo juntos, sobretudo conhecendo o mundo através do esporte, que se tornou o nosso trabalho. A parte do "nem tanto" seria se ficássemos cansados um do outro, mas isso realmente não acontece, temperamos bem essas possibilidades, tendo alguns momentos de atividades sozinhos, então, não chega a esse ponto", conta Rafa.


Para Juliana, a recíproca também é verdadeira. "A nossa rotina no esporte tem a carga horária de uma rotina de trabalho normal; malhamos juntos diariamente, temos psicólogo, nutricionista, fisioterapeuta, além de realizarmos todo o planejamento de nossas viagens; incluindo a logística. Tudo isso leva um dia inteiro. Tudo em função da Vela. Descansamos aos fins de semana - quando não tem regata!", brinca Ju.

juliana duque e rafael martins
Foto: CBVela/Divulgação

Somente em 2023, o casal já conquistou o bicampeonato brasileiro na classe Snipe, já passou por competições internacionais na Espanha, França, Portugal, Chile e mais recentemente no Rio de Janeiro, onde conquistaram a disputada vaga para representar o Brasil nos Jogos Pan-Americanos, que será realizado em outubro em Santiago, no Chile. A dupla já foi pódio no Pan-Americano de 2019, no Peru, quando conquistaram a medalha de bronze e as expectativas para uma nova medalha no Pan não poderiam ser melhores.


Tanto mar não enjoa? (Risos) Pergunto. Como é que vocês saem desse circuito de treinos viagens, competição e água salgada?


"A gente não consegue se enxergar longe do mar. Eu vejo isso, principalmente, quando estamos em um período muito intenso de treinos e competições. Quando voltamos para casa o nosso descanso preferido é sair de barco para passear (Risos). Então, isso já mostra que gostamos de estar no mar o tempo inteiro, seja treinando ou nos divertindo com wingfoil, velejando, pescando, fazendo um ceviche...essas coisas da vida no mar", conta Ju.

Foto: Arquivo Pessoal

​Tendo a simplicidade e o desempenho como grandes marcas, Juliana e Rafael realizam também palestras e consultorias, inspirando, desde pequenos velejadores que estão começando, como grandes comandantes e empresários que buscam neles valores fundamentais para qualquer segmento: hábitos saudáveis, foco, busca de resultados e, sobretudo, o amor pelo esporte.


"Não me vejo mais fora do mar. Eu sou um atleta, por isso, ou estarei praticando ou usando essa experiência para ajudar futuros atletas. Me vejo com muita longevidade na Vela. A cada dia, nos cuidamos mais e somos atletas melhores. Então, prevejo mais bons anos de atleta de alto rendimento e, mesmo depois, velejando em outras classes, e ajudando outros velejadores a encontrarem seus caminhos", confessa Rafa.


Pelo visto, vida longa e muitos bons ventos não faltarão ao casal hoje e sempre.




0 comentário

コメント


bottom of page